"É o homem em Cristo que tem a missão não só de se fazer humano, mas de se tornar divino pelo dom do Espírito de Amor. O amor é medido por sua atividade e por seu poder transformador. O cristianismo não ensina o homem a atingir um ideal interior de divina tranquilidade (...). Ensina-o a dar-se ao seu irmão e ao seu mundo em um serviço de amor no qual Deus manifestará seu poder criador através dos homens na Terra."

 

Thomas Merton

Atualizado em 18 de outubro de 2020

Reflexões Evangélicas

(2020)

Amados irmãos, em nossa biblioteca encontra-se uma relação de Reflexões Evangélicas, com olhar ecumênico, referentes a cada semana de todo o Ano Litúrgico até então.

Convido a todos vocês a visitarem e aproveitarem esse espaço, compartilhando conosco de suas reflexões e comentários. 

Bíblia_Sagrada.jpg

Preparemo-nos para o banquete do Senhor

28º Domingo do Tempo Comum (11.10.2020)

"Dai, pois, a Cesar o que é de Cesar

e a Deus o que é de Deus."

29º Domingo do Tempo Comum (18.10.2020)

Espaço de Partilha
outubro de 2020

Espiritualidade e Religião

 

Frei Beto

 

Há, hoje, uma busca difusa por espiritualidade. Porém, os sedentos não encontram com facilidade o caminho do Poço de Jacó (João 4).

 

Até o surgimento do cristianismo, as religiões se prendiam a limites étnicos, culturais e territoriais. O apóstolo Paulo universalizou a proposta de Jesus, estendeu-a a todos os povos sem precisarem renunciar a suas identidades culturais.

(...)

Espaço Thomas Merton

Encontrar o sentido da existência.

"O Novo Testamento afirma que a plena manifestação de Deus é, de fato, uma kénosis, um esvaziamento em que Deus se torna homem e se submete até a morte sob o poder dos homens (Cf. Filipenses, 2, 5-11). A palavra de Deus é, agora, não só acontecimento, evento, mas uma pessoa, e todo o sentido e conteúdo da Bíblia deve estar, segundo os Apóstolos, não na mensagem sobre o Cristo, mas no encontro com o Cristo que é ao mesmo tempo pessoa e palavra de Deus e que vive como o Senhor ressuscitado. A plenitude da Bíblia é, pois, (para os cristãos) o encontro pessoal com Jesus Cristo no qual este é reconhecido como “aquele que é enviado” (o Messias ou o ungido do Senhor, Kyrios, Christos). Nele estão contidas todas as perguntas e todas as respostas, toda a esperança e todos os sentidos, todos os problemas e todas as soluções. Assumir um compromisso total com essa pessoa e participar do acontecimento que é a sua vinda, sua morte e sua ressurreição é encontrar o sentido da existência, não racionalizando-a, mas vivendo-a como ele o fez.

Thomas Merton em "Que livro é este?".

outubro de 2020

Centro para Ação e Contemplação

A nossa principal questão é sempre "como podemos transformar a informação em transformação?"

Como podemos usar os textos sagrados, a tradição e a experiência para levar as pessoas a novos lugares com Deus?   

 

Richard Rohr

Irmãs e irmãos amados, convidamos todas e todos vocês a acompanharem também a comunidade online do Centro de Ação e Contemplação (Center for Action and Contemplation). Seu rico e inspirador conteúdo lembra-nos que não estamos sozinhos na caminhada contemplativa. Destacam a existência de uma Realidade Divina cuja presença atravessa todas as fronteiras do tempo, espaço, tradição e religião.

Acesso ao site

Meditações Diárias de Richard Rohr

Frei Richard Rohr é um professor ecumênico mundialmente reconhecido, testemunhando o despertar universal dentro do misticismo cristão e da Perene Tradição. Ele é franciscano da Província do Novo México e fundador do Centro para Ação e Contemplação (CAC). Ele nos brinda com suas meditações diárias que, ao logo do corrente ano, estão focadas no tema “Velho e Novo: Uma Fé Evolutiva”. Partindo de sua tradição cristã franciscana e contemplativa, ele busca auxiliar o aprofundamento na experiência e na compreensão de Deus.

A cada semana, selecionamos uma das reflexões diárias do Frei Richard para ser traduzida e disponibilizada neste espaço. As demais, assim como o conteúdo restante, podem ser encontradas em seu idioma original (inglês) na página do CAC.

Na quadragésima primeira semana, Richard Rohr, apresenta-nos em sua página "Meditação Diária", intrigantes reflexões a respeito do "mal", dando o nome genérico de: "O que fazemos com o mal?". Traduzimos para o português, nesta semana, o primeiro texto apresentado por ele com o título "A natureza do mal", lembrando-nos que, normalmente, confundimos o mal com transgressões pessoas relacionadas à moral e deixando de nos ater ao verdadeiro mal que, de uma forma geral, está relacionado à prática coletiva. Mais uma vez, sugerimos a leitura dos demais textos desta semana no site do Centro para Ação e Contemplação, na página "Meditação Diária", do Frei Richard Rohr.

Vocação

Contemplativa

Já pensou nisso?

Orações

A prática religiosa desenvolvida pela humanidade, desde as comunidades de origem mais longínqua, vem se sustentando na oração, na busca permanente do encontro com a divindade norteadora de suas ações, no desejo de se chegar ao Supremo, ao Absoluto, à Verdade, de se chegar a Deus, de se chegar à realidade última que é a nossa própria essência. Assim, a vida da Igreja, na concepção de uma assembleia unida caminhante, deve se sustentar na prática orante, revestindo-se de importância vital para sua sobrevivência espiritual.

Assim, disponibilizamos diversas orações para que possam ser compartilhadas, além que sua prática orante pessoal.

Está disponível uma reflexão do Rev. Frei Milton sobre a Prática Orante.     Acesse...

Oração do Senhor

- Pai Nosso -

Oração do Coração

Sabemos que a oração é um meio de se entrar em contato com a divindade e que pode ser verbalizada, de forma espontânea ou repetitiva, meditativa, ou contemplativa. Independente da forma ou do caminho dessa relação, quando oramos estando nos relacionando com o Altíssimo, como e onde quer que O percebamos, dentro e/ou fora de cada um de nós.

Apresentamos uma sequência de reflexões sobre todas as partes da Oração do Senhor - O Pai Nosso.

Convidamos você a nos acompanhar nessa rica e maravilhosa reflexão contemplativa sobre a mais conhecida oração cristã, agora apresentada de forma completa.

Diz-se que a Oração de Jesus, ou Oração do Coração, é um importante caminho para o nosso crescimento espiritual. Além de ela proclamar a nossa fé, ajuda-nos a ser capaz de “estar na presença de Deus”. Ela nos ajuda a concentrar a nossa mente em Deus, de forma exclusiva, e quando nossa mente está totalmente concentrada em Deus, somos capazes de descobrir uma relação pessoal e direta com Ele. Dessa forma, podemos dizer que a Oração de Jesus é, simultaneamente, uma disciplina e uma oração.

Sobre a Espiritualidade Hesicasta e a Oração do Coração, dispomos alguns textos reflexivos, para que possamos compreender melhor tal prática e, quem sabe, buscarmos sua prática cotidiana.

outubro de 2020

Couraça de

São Patrício

Levanto-me, neste dia que amanhece,
Por uma grande força, a invocação da Trindade,
Pela fé na Tríade,
Pela afirmação da unidade
Do Criador da criação.

Levanto-me, neste dia que amanhece,
Pela força do nascimento de Cristo e de seu batismo,
Pela força de sua crucificação e sepultamento,
Pela força de sua ressurreição e ascensão,
Pela força de sua descida para o julgamento dos mortos.

Levanto-me, neste dia que amanhece,
Pela força do amor dos Querubins,
Em obediência aos Anjos,
A serviço dos Arcanjos,
Pela esperança da ressurreição e do prêmio,
Pelas orações dos Patriarcas,
Pelas previsões dos Profetas,
Pela pregação dos Apóstolos
Pela fé dos Confessores,
Pela inocência das Virgens santas,
Pelos atos dos Bem-aventurados.

Levanto-me, neste dia que amanhece,
Pela força do céu:
Luz do sol,
Clarão da lua,
Esplendor do fogo,
Pressa do relâmpago,
Presteza do vento,
Profundeza dos mares,
Firmeza da terra,
Solidez da rocha.

Levanto-me, neste dia que amanhece:
Que a força de Deus me dirija,
Que o poder de Deus me ampare,
Que a sabedoria de Deus me guie,
Que o olhar de Deus me vigie,
Que o ouvido de Deus me ouça,
Que a palavra de Deus me faça eloquente,
Que a mão de Deus me guarde,
Que o caminho de Deus me esteja à frente,
Que o escudo de Deus me proteja,
Que o exército de Deus me defenda
Das armadilhas do demônio,
Das tentações do vício,
De todos os que me desejam mal,
Longe e perto de mim,
Agindo só ou em grupo.

 

Conclamo, hoje, tais forças a me protegerem contra o mal,
Contra qualquer força cruel que me ameace corpo e alma,
Contra a encantação de falsos profetas,
Contra as leis negras do paganismo,
Contra as leis falsas dos hereges,
Contra a arte da idolatria,
Contra feitiços de bruxas e magos,
Contra saberes que corrompem o corpo e a alma.

Cristo guarde-me hoje
Contra veneno, contra fogo,
Contra afogamento, contra ferimento,
Para que eu possa receber e desfrutar a recompensa.

Cristo comigo,
Cristo à minha frente,
Cristo atrás de mim,
Cristo em mim,
Cristo embaixo de mim,
Cristo acima de mim,
Cristo à minha direita,
Cristo à minha esquerda,
Cristo ao me deitar,
Cristo ao me sentar,
Cristo ao me levantar,

Cristo no coração de todos a quem eu falar,
Cristo na boca de todos os que me falarem,
Cristo em todos os olhos que me virem,
Cristo em todos os ouvidos que me ouvirem.

Levanto-me, neste dia que amanhece,
Por uma grande força, pela invocação da Trindade,
Pela fé na Tríade,
Pela afirmação da Unidade,
Pelo Criador da Criação.

Liturgia das Horas

Desde o início da cristandade, os fiéis se costumavam entregar à oração individual em determinadas horas do dia. Com o tempo, foi-se introduzindo o costume de consagrar à oração comunitária alguns horários especiais, por exemplo, ao raiar do dia, a primeira hora da manhã, ao entardecer, no momento em que se acendiam as luzes, a última hora do dia, e quando a noite chega ao seu termo. Ocorreu, ainda, a santificação de outros horários pela oração comunitária, em decorrência de sua identificação em Atos dos Apóstolos: os discípulos reunidos [para a oração] à terceira hora (At 2,1-5); o Príncipe dos Apóstolos “sobe ao terraço da casa para orar, por volta da sexta hora” (10, 9); “Pedro ... e João sobem ao templo, para a oração da hora nona” (3, 1); “a meio da noite, Paulo e Silas, em oração, entoavam louvores a Deus” (16, 25).

Estas orações comunitárias foram-se organizando, até que constituíram em um ciclo horário bem definido - A Liturgia das Horas ou Ofício Divino.

Para saber um pouco mais a respeito, disponibilizamos o texto completo “Instrução geral sobre a Liturgia das Horas”.

Faça seu pedido de oração

Diariamente, os monges celebram a liturgia e, acima de tudo, louvam a Deus pelas bênçãos concede aos homens. Da mesma forma, suas orações são  também de intercessão.

Um carinho na alma

outubro de 2020

Entre em contato conosco - mongesanglicanos@gmail.com

  • Facebook