"É o homem em Cristo que tem a missão não só de se fazer humano, mas de se tornar divino pelo dom do Espírito de Amor. O amor é medido por sua atividade e por seu poder transformador. O cristianismo não ensina o homem a atingir um ideal interior de divina tranquilidade (...). Ensina-o a dar-se ao seu irmão e ao seu mundo em um serviço de amor no qual Deus manifestará seu poder criador através dos homens na Terra."

 

Thomas Merton

Atualizado em 27 de setembro de 2020

Reflexões Evangélicas

(2020)

Amados irmãos, em nossa biblioteca encontra-se uma relação de Reflexões Evangélicas, com olhar ecumênico, referentes a cada semana de todo o Ano Litúrgico até então.

Convido a todos vocês a visitarem e aproveitarem esse espaço, compartilhando conosco de suas reflexões e comentários. 

Bíblia_Sagrada.jpg

A gratuidade de nossas ações em confronto com a justiça humana.

25º Domingo do Tempo Comum (20.9.2020)

Do que valem as aparências?

26º Domingo do Tempo Comum (27.9.2020)

Espaço de
Partilha
setembro de 2020

A MÚSICA COMO INSTRUMENTO PARA

O DIÁLOGO INTER-RELIGIOSO

O presente trabalho tem como objetivo entender, através da análise do grupo de estudosTemplo Cultural (formado por indivíduos pertencentes a diferentes práticas religiosas que conversam sobre temas variados através da práxis sonora), como a música pode auxiliar no diálogo inter-religioso. Com base em observações empíricas e na pesquisa-ação participativa, foram formuladas reflexões que abrangeram debates sobre as perspectivas de autores que discutem temas relacionados à religiosidade, juntamente com atividades desenvolvidas pelos participantes do grupo de estudos em questão.

Pensamento Semanal

XXVI Domingo do Tempo Comum, ano A (Dehonianos)

O “sim” que Deus nos pede não é uma declaração teórica de boas intenções, sem implicações práticas; mas é um compromisso firme, coerente, sério e exigente com o Reino, com os seus valores, com o seguimento de Jesus Cristo. O verdadeiro crente não é aquele que “dá boa impressão”, que finge respeitar as regras e que tem um comportamento irrepreensível do ponto de vista das convenções sociais; mas é aquele que cumpre na realidade da vida a vontade de Deus. (...)

Antes de mais, a parábola dos dois filhos chamados para trabalhar “na vinha” do pai sugere que, na perspectiva de Deus, todos os seus filhos são iguais e têm a mesma responsabilidade na construção do Reino. Deus tem um projecto para o mundo e quer ver todos os seus filhos – sem distinção de raça, de cor, de estatuto social, de formação intelectual – implicados na concretização desse projecto. 

Espaço Thomas Merton

A realidade crua das coisas.

"A vida solitária, sendo silenciosa, varre a cortina de fumaça composta de palavras que o homem estabeleceu entre sua mente e as coisas. Na solidão, permanecemos diante da realidade crua das coisas. E, no entanto, descobrimos que a crueza da realidade que nos inspirou temor não é a causa nem de temor nem de vergonha. Está revestida da amável comunhão do silêncio, e esse silêncio está relacionado com o amor. O mundo, que nossas palavras tentaram classificar, controlar e até mesmo desprezar (porque não podiam contê-lo), se aproxima de nós, pois o silêncio nos ensina a conhecer a realidade respeitando-a lá onde as palavras a profanaram.

Thomas Merton em "Na liberdade da solidão".

setembrode 2020

Centro para Ação e Contemplação

A nossa principal questão é sempre "como podemos transformar a informação em transformação?"

Como podemos usar os textos sagrados, a tradição e a experiência para levar as pessoas a novos lugares com Deus?   

 

Richard Rohr

Irmãs e irmãos amados, convidamos todas e todos vocês a acompanharem também a comunidade online do Centro de Ação e Contemplação (Center for Action and Contemplation). Seu rico e inspirador conteúdo lembra-nos que não estamos sozinhos na caminhada contemplativa. Destacam a existência de uma Realidade Divina cuja presença atravessa todas as fronteiras do tempo, espaço, tradição e religião.

Acesso ao site

Meditações Diárias de Richard Rohr

Frei Richard Rohr é um professor ecumênico mundialmente reconhecido, testemunhando o despertar universal dentro do misticismo cristão e da Perene Tradição. Ele é franciscano da Província do Novo México e fundador do Centro para Ação e Contemplação (CAC). Ele nos brinda com suas meditações diárias que, ao logo do corrente ano, estão focadas no tema “Velho e Novo: Uma Fé Evolutiva”. Partindo de sua tradição cristã franciscana e contemplativa, ele busca auxiliar o aprofundamento na experiência e na compreensão de Deus.

A cada semana, selecionamos uma das reflexões diárias do Frei Richard para ser traduzida e disponibilizada neste espaço. As demais, assim como o conteúdo restante, podem ser encontradas em seu idioma original (inglês) na página do CAC.

Na trigésima oitava semana, Richard Rohr, apresenta-nos em sua página "Meditação Diária", reflexões sobre o que ele chama de: "Misticismo Interespiritual". Traduzimos para o português, nesta semana, o texto apresentado por ele com o título "Um nome indizível", onde nos lembra distância entre a infinitude divina e a razão humana, distanciamento este que impossibilita que, sequer, possamos compreender a presença de Deus, razão pela qual apontar a importância de sentirmos sua presença, chegando ao ponto de visualizar Cristo em tudo e em todos. Mais uma vez, sugerimos a leitura dos demais textos desta semana no site do Centro para Ação e Contemplação, na página "Meditação Diária", do Frei Richard Rohr.

Vocação

Contemplativa

Já pensou nisso?

Orações

A prática religiosa desenvolvida pela humanidade, desde as comunidades de origem mais longínqua, vem se sustentando na oração, na busca permanente do encontro com a divindade norteadora de suas ações, no desejo de se chegar ao Supremo, ao Absoluto, à Verdade, de se chegar a Deus, de se chegar à realidade última que é a nossa própria essência. Assim, a vida da Igreja, na concepção de uma assembleia unida caminhante, deve se sustentar na prática orante, revestindo-se de importância vital para sua sobrevivência espiritual.

Assim, disponibilizamos diversas orações para que possam ser compartilhadas, além que sua prática orante pessoal.

Está disponível uma reflexão do Rev. Frei Milton sobre a Prática Orante.     Acesse...

Oração do Senhor

- Pai Nosso -

Oração do Coração

Sabemos que a oração é um meio de se entrar em contato com a divindade e que pode ser verbalizada, de forma espontânea ou repetitiva, meditativa, ou contemplativa. Independente da forma ou do caminho dessa relação, quando oramos estando nos relacionando com o Altíssimo, como e onde quer que O percebamos, dentro e/ou fora de cada um de nós.

Apresentamos uma sequência de reflexões sobre todas as partes da Oração do Senhor - O Pai Nosso.

Convidamos você a nos acompanhar nessa rica e maravilhosa reflexão contemplativa sobre a mais conhecida oração cristã, agora apresentada de forma completa.

Diz-se que a Oração de Jesus, ou Oração do Coração, é um importante caminho para o nosso crescimento espiritual. Além de ela proclamar a nossa fé, ajuda-nos a ser capaz de “estar na presença de Deus”. Ela nos ajuda a concentrar a nossa mente em Deus, de forma exclusiva, e quando nossa mente está totalmente concentrada em Deus, somos capazes de descobrir uma relação pessoal e direta com Ele. Dessa forma, podemos dizer que a Oração de Jesus é, simultaneamente, uma disciplina e uma oração.

Sobre a Espiritualidade Hesicasta e a Oração do Coração, dispomos alguns textos reflexivos, para que possamos compreender melhor tal prática e, quem sabe, buscarmos sua prática cotidiana.

setembro de 2020

Oração de agradecimento

Deus, obrigado por tudo que farás hoje.

Obrigado porque sei que nunca irá me desamparar, que mesmo nos momentos mais difíceis da minha vida o Senhor sempre estará presente.

 

Obrigado pelas desilusões elas me ensinaram que não devo colocar todo o meu coração em nada que existe aqui na terra e que fazendo isso sofrerei menos quando algo não da certo.

 

Obrigado pelas lágrimas, pois elas lavam a minha alma e me fazem enxergar as coisas de forma diferente.

 

Obrigado por colocar em meu coração o dom de perdoar e assim sendo sei que sempre serei perdoada por Ti.

 

Obrigado Senhor pelo amanhecer, ele me mostra que sempre posso recomeçar.

 

Obrigado também pelo anoitecer ele me faz lembrar que tudo nessa vida é passageiro e que nenhum momento da vida seja bom ou ruim durará para sempre.

 

Obrigado pela consciência que tenho de que tudo nesta vida depende unicamente de Ti e que um dia todos possam enxergar que sem Ti não somos nada.

 

Amém.

(Autor desconhecido)

Liturgia das Horas

Desde o início da cristandade, os fiéis se costumavam entregar à oração individual em determinadas horas do dia. Com o tempo, foi-se introduzindo o costume de consagrar à oração comunitária alguns horários especiais, por exemplo, ao raiar do dia, a primeira hora da manhã, ao entardecer, no momento em que se acendiam as luzes, a última hora do dia, e quando a noite chega ao seu termo. Ocorreu, ainda, a santificação de outros horários pela oração comunitária, em decorrência de sua identificação em Atos dos Apóstolos: os discípulos reunidos [para a oração] à terceira hora (At 2,1-5); o Príncipe dos Apóstolos “sobe ao terraço da casa para orar, por volta da sexta hora” (10, 9); “Pedro ... e João sobem ao templo, para a oração da hora nona” (3, 1); “a meio da noite, Paulo e Silas, em oração, entoavam louvores a Deus” (16, 25).

Estas orações comunitárias foram-se organizando, até que constituíram em um ciclo horário bem definido - A Liturgia das Horas ou Ofício Divino.

Para saber um pouco mais a respeito, disponibilizamos o texto completo “Instrução geral sobre a Liturgia das Horas”.

Faça seu pedido de oração

Diariamente, os monges celebram a liturgia e, acima de tudo, louvam a Deus pelas bênçãos concede aos homens. Da mesma forma, suas orações são  também de intercessão.

Um carinho na alma

setembro de 2020

Entre em contato conosco - mongesanglicanos@gmail.com

  • Facebook