partilha.jpg
Espaço de Partilha - 2022

setembro 2022

Captura de Tela 2022-09-03 às 12.22.10.png

Este livro propicia um pequeno curso para profissionais interessados em identificar e apontar as necessidades espirituais dos pacientes. É um guia para médicos, estudantes de medicina, residentes e para estudantes em outras áreas de saúde. O livro é destinado a médicos que desejam saber como integrar espiritualidade na prática clínica de uma forma efetiva, sensata e ao mesmo tempo sensível. Enfermeiros e capelães também podem achar úteis as informações neste livro, já que os mesmos interagem com médicos, outros profissionais de saúde e administradores hospitalares. Enquanto muitos outros guias existem para informar como lidar com assuntos espirituais, nenhum é de fácil e rápido uso e consulta.

agosto de 2022

Intolerância e tolerância religiosa: análise e perspectivas

Tolerância e intolerância religiosa.jpg

O teólogo Hans Küng propõe que a construção de uma ética mundial a partir das religiões é tão urgente quanto necessária para os dias atuais. Para ele, o diálogo é o pressuposto primordial quando se trata da intolerância/tolerância religiosa. Nesse sentido, a pastoral, em suas várias dimensões, deve entender que a religião é algo presente nas famílias, na escola, no trabalho e na sociedade em geral. Se a ação pastoral não leva o assunto em consideração, todo processo evangelizador pode ser prejudicado.

Contudo, se a intolerância religiosa surge justamente no seio das religiões, somente elas mesmas, em profundo diálogo, poderão encontrar um caminho para a superação dos conflitos em razão do respeito às diferenças. Num contexto de globalização e de forte impacto das mídias sociais na vida cotidiana como o atual, o bem da humanidade exige da pastoral uma posição que leve ao esclarecimento e ao aprofundamento do verdadeiro sentido do diálogo ecumênico. Isso implica uma clara consciência de sermos nós os responsáveis pelo futuro da humanidade em termos de paz e solidariedade.

Ildo Perondi e Alberto Paulo Neto, organizadores

julho de 2022

alcides.silva.jpg

Foi afundada numa estagnação espiritual profunda, patrocinada pelas Revoluções Industrial e Política na Europa, que emerge o Movimento de Oxford, de 1833, cujo fim era influenciar um novo grupo dentro do anglicanismo denominado de anglo-católicos, onde há o destaque de John Henry Newman que apresenta em seus escritos a ideia de que os 39 artigos são completamente consolidáveis dentro da realidade católica dos pertencente a Alta Igreja, uma renovação espiritual que resgatou os princípios da tradição católica e apostólica perdidos na reforma protestante inglesa.

Dentro desse movimento, fortaleceu-se a tradição litúrgica já há muito enfraquecida pelo antirromanismo calvinista. Nisto Os Tractarianos reafirmaram que a igreja Anglicana, apesar da reforma, deveria manter a essência de sua catolicidade, tais como o episcopado, credos, sacramentos, cuja herança remonta a Igreja Celta das Ilhas Britânicas do século VII.

Prof. Alcides Silva, Tosf

junho de 2022

Monica.jpg

O Ecumenismo e a unidade de Igreja

Ecumenismo é um termo bastante discutido no meio teológico, por isso logo se vê a grande importância de se entender seus fundamentos e como surgiu, e ainda, seu contexto, ou seja, como está inserido na sociedade e seu futuro diante de tantas vertentes e desafios que tem enfrentado. Ecumenismo vem do termo grego oikoumene que significa mundo habitado que vem de oikos que significa casa, habitação. Num sentido mais amplo, ecumenismo tudo tem a ver com unidade. Por isso, ecumenismo é tratado num sentido mais amplo com a cooperação entre as diversas religiões, num sentido mais restrito na unidade entre as igrejas cristãs e num sentido mais específico e mais recente, a superação das diferenças entre as diversas denominações evangélicas.

Mônica Cordovil de Oliveira Martins Gomes

maio de 2022

Rudolf.jpeg

Diálogo inter-religioso:

Dos "cristãos anônimos" às teologias das religiões

Teólogos como Karl Rahner, com sua famosa fala de pessoas de outras crenças como "cristãos anônimos",abriram novos espaços para o diálogo inter-religioso nos anos 60 do século passado. Refletido também na declaração "Nostra Aetate" do Concílio Vaticano II, começou-se a pensar das outras religiões como portadoras de, pelo menos, "elementos" da verdade, adotando uma postura "inclusivista": Sendo o cristianismo a religião "absoluta", outras religiões podem levar à salvação, mesmo que de forma derivada e imperfeita. Este conceito foi levado adiante nas diversas teologias das religiões tanto católicas quanto protestantes, mudando para um paradigma pluralista. Este desenvolvimento é demonstrado no exemplo do teólogo católico hispano-indiano Raimon Panikkar (*1918). A partir do pensamento deste, postula-se a necessidade de uma "hermenêutica da confiança" como base do diálogo inter-religioso.

Rudolf von Sinner 

Revdo. Frei Milton Menezes

Convido vocês para refletirmos juntos sobre o chamado Tríduo Pascoal, ou seja, a sequência de três dias que podem ser considerados como o ápice do cristianismo. É composto da Quinta-feira Santa, da Sexta-feira da Paixão e da Vigília Pascoal.

Páscoa cristã.jpg

abril de 2022

Pantocrator.jpg

Crer em Jesus Cristo hoje

Que significa crer em Jesus Cristo hoje? Sua vida, sua pessoa e seu estilo de viver ainda nos dizem alguma coisa? A mais de dois mil anos das primeiras comunidades que com Ele viveram, somos instigados a interrogar nossa fé em Jesus Cristo. É esta interrogação que nos permitirá entrar no âmago do sentido do crer em Jesus Cristo hoje. Não se trata simplesmente de dar uma resposta conhecida, pronta, como a de muitos catecismos e livros de formação que circulam em nossas paróquias. Tampouco se trata de dar uma resposta que busque um recuo identitário e excludente, pouco dialógico, ao qual estão tentados alguns grupos cristãos contemporâneos.Torna-se necessária uma resposta mais de cunho pessoal e experiencial, uma resposta que transpasse nossas entranhas crentes. Uma resposta crente sim, mas que não ignore a contribuição das pesquisas históricas realizadas sobre Jesus, sobretudo durante o século passado e inícios deste. É necessário voltar ao elementar da fé e da vida cristã.

Manuel Hurtado, SJ.

março de 2022

Nossa Quaresma.png

A Quaresma de todos nós

Convido todas e todos vocês a refletirmos juntos sobre a quaresma, período de preparação para páscoa. Não uma quaresma ou páscoa temporais, muito menos restritas à tradição cristã, pois, tanto a quaresma, como a páscoa, são eventos que merecem ser refletidos e vivenciados por todos os seres, independente de sua tradição religiosa.

Rev. Frei Milton Menezes

 janeiro de 2022

A noção de Deus enquanto ser-em-si na teologia de Paul Tillich.

Osiel Lourenço de Carvalho

Thiago Rafael Englert Kelm

"O presente artigo discutirá o conceito de Deus a partir da teologia de Paul Tillich. Tal discussão, parte da premissa de que para Tillich Deus é o ser-em-si, ou seja, ele não é um “ente” entre os demais que constituem a existência. Deus é a resposta à perguntada levantada pelos seres humanos, bem como o nome de sua preocupação última, de modo que a resposta é obtida por meio de símbolos. Outros elementos como a nação ou o sucesso também podem “funcionar” como preocupação última e, consequentemente tornam-se elementos idolátricos.​"