Thomas Merton_8.jpg
Reflexões de Thomas Merton - 2021 / 2022

agosto de 2022

Marta, Maria e Lázaro

"Dois monges de pé, lado a lado no coro, cantando os mesmo salmos ou então sentados juntos no claustro, ou trabalhando juntos no campo, fazendo, de manhã à noite, as mesmas coisas, poderão levar, cada qual, vida diferente, graças à diferença de suas disposições interiores. Para um será a vida contemplativa de Maria, para o outro, a vida ativa e penitente de Lázaro ou, se for encarregado de tarefas e cuidados materiais, a vida laboriosa de Marta."

Marta, Maria e Lázaro (Vozes, 1959), p. 16 e 17.

julho de 2022

O que entristece o diretor espiritual

"Quantas vezes o guia espiritual, ouvindo almas religiosas aparentemente admiráveis, se entristece e fica atônito pelo sentimento de que diante dele se encontra um muro de autossuficiência, vaidade e inconsciente autossatisfação, reforçado de “frases feitas” banais, plagiadas de piedosos autores, muro inteiramente preparado a resistir a toda e qualquer penetração da humildade e da verdade. Seu coração se contrai, é tomado por um sentimento da inutilidade da coisa, de que não há jeito de destruir essa armadura e libertar a verdadeira pessoa enterrada e presa debaixo dessa falsa fachada que adquiriu, infelizmente, como resultado de uma formação religiosa defeituosa."

Simplicidade e Fé

"Um guia espiritual que saiba estimular a simplicidade e a fé encontrará muitos contemplativos, verdadeiros e simples, que respondam à sua direção com pouca ou nenhuma tolice no que diz respeito à oração de quietude, união plena, ligadura etc. O problema não está em que essas coisas sejam de pouca importância ou irreais, mas em que a verbosidade com que se tende a envolvê-las se mete entre o contemplativo e a realidade, entre a alma e Deus."

Thomas Merton em Direção espiritual e meditação.

junho de 2022

A Verdade Religiosa

"O conhecimento conceitual da verdade religiosa tem lugar definido em nossa vida; e esse lugar é importante. O estudo tem função essencial em nossa vida de oração. A vida espiritual necessita de fortes bases intelectuais. O estudo da teologia é acompanhamento necessário a uma vida de meditação."

Thomas Merton em A Oração Contemplativa.

maio de 2022

Sobre o contentamento

"É uma coisa interior que se associa à liberdade. A liberdade depende dele, e quem não sabe ficar contente na adversidade não consegue ser livre. O contentamento nada tem a ver com concessões ou derrota; é a condição para a vitória. Pois quando estou contente eu reconheço que não preciso de outras condições e de nenhuma outra situação para ser livre e feliz. Isso, em certo sentido, é transcender toda a questão!"

Thomas Merton em Merton na Intimidade.

abril de 2022

Oração, evasão ou encenação?

"Não podemos estar sempre falando, rezando com palavras, engabelando, argumentando ou mantendo uma espécie de música de fundo devota. Muito do nosso diálogo interior bem intencionado é, de fato, uma cortina de fumaça e uma evasão. Boa parte dele é simplesmente autoafirmação e, no fim, pouco melhor do que uma forma de justificação de si. Em vez de realmente encontrar Deus no despojamento da fé, no qual nosso ser mais íntimo se apresenta nu diante dele, encenamos um ritual interior cuja única função é acalmar a ansiedade."

Thomas Merton em Amor e Vida.

março de 2022

Paradoxos da Vida Mística

"Um dos paradoxos da vida mística e este: ninguém pode entrar no mais íntimo de seu ser e passar dali a Deus se não for capaz de sair inteiramente de si mesmo, esvaziar-se de si mesmo e dar-se a outras pessoas na pureza de um amor altruísta.

E uma vida de contemplação, uma das piores ilusões seria, portanto, tentar encontrar Deus fechando-se em si mesmo e deixando fora dessas barricadas toda a realidade exterior pela simples concentração e força de vontade, cortando todo contato com o mundo e os outros ao se enfurnar dentro da própria mente e fechar as portas como uma tartaruga.

Quanto mais eu me identificar com Deus, mais me identificarei com todos os que com Ele estão identificados. Seu amor vivera em todos nós. Seu Espírito será nossa única vida, a vida de todos nós e vida de Deus. E haveremos de amar-nos uns aos outros e a Deus com o mesmo Amor com que Ele nos ama e Se ama. Esse amor é o próprio Deus."

Thomas Merton em Novas Sementes de Contemplação.

fevereiro de 2022

O Segredo ...

"de minha identidade plena está escondido Nele. Só Ele pode tornar-me quem sou, ou melhor, quem serei quando por fim começar a ser de fato. Mas esse trabalho só será realizado se eu desejar essa identidade e trabalhar para encontrá-la, Nele e com Ele. A maneira de realizá-la é um segredo que só posso aprender com Ele, mais ninguém. Não há forma de alcançar esse segredo sem fé. Mas a contemplação é o maior e mais precioso dom, pois me possibilita enxergar e compreender o trabalho que Deus quer ver realizado."

 

Thomas Merton em Novas Sementes de Contemplação.

janeiro de 2022

Aquela coisa difícil

"Mais e mais, tranquilamente vou tendo de fazer aquela coisa difícil que ninguém está disponível para fazer por mim ou comigo  — viver realmente minha vida interior e procurar Deus de acordo com minha vocação."

 

Thomas Merton em Merton na intimidade.

dezembro de 2021

Deus em nós

"Para encontrarmos Deus em nós, temos de parar de olhar para nós mesmos, de nos inspecionar e verificar no espelho da nossa futilidade; devemos contentar-nos em ser em Deus e de fazer o que Ele quiser, conforme as nossas limitações, julgando os nossos atos não à luz das nossas ilusões, mas à luz da Sua realidade que nos cerca nas coisas e pessoas com quem vivemos."

 

Thomas Merton em Homem Algum é uma Ilha.

novembro de 2021

Ao viver contemplativamente ...

"participamos intencionalmente com Deus da criação e da descoberta de nossa verdadeira identidade. Os frutos de nossa atenção são o aprofundamento de nossa humanidade, o fortalecimento de nossa coragem de amar a nós mesmos e ao próximo, e a ampliação de nossa gratidão por termos nascido para amar a Deus.."

 

do livro Bridges to contemplative living with Thomas Merton.

outubro de 2021

A Cruz é paz para alma

"Toma sobre ti o peso da cruz de Cristo, isto é, a humildade, a pobreza, a obediência e a renúncia de Cristo, e encontrarás paz para a tua alma."

Thomas Merton em "Novas Sementes de Contemplação".

setembro de 2021

O que Deus deseja de mim?

"Preciso, em primeiro lugar, ver claramente que o que Deus deseja de mim sou eu mesmo. Isso equivale a dizer que a sua vontade me aponta uma direção: conhecer, descobrir, expandir o meu eu, o meu eu verdadeiro, em Cristo."

 

Fé & Vida

"Parece-me que a primeira responsabilidade de um homem de fé é fazer de sua fé uma parte real da vida, não discuti-la, mas vivendo-a."

Thomas Merton em "Homem algum é uma ilha".

agosto de 2021

Homem algum é uma ilha

"Solidão, humildade, desprezo de si mesmo, ação e contemplação, os sacramentos, a vida monástica, a família, a guerra e a paz – nada disso tem sentido, senão em relação a esta realidade central que é o amor de Deus, vivendo e agindo naqueles que Ele incorporou no Seu Cristo. Nada, absolutamente, tem sentido, a menos que admitamos, com John Donne, que “homem algum é uma ilha completa em si mesma; todo homem é um fragmento do continente, uma parte do oceano."

Prólogo do livro Homem algum é uma ilha de Thomas Merton.

julho de 2021

Jesus

"Hoje, num momento de provação, redescobri Jesus, ou talvez O tenha descoberto pela primeira vez. O fato é que num mosteiro estamos sempre descobrindo Jesus pela primeira vez. Seja como for, cheguei mais perto do que nunca a compreender integralmente como é verdade que nossas relações com Jesus são algo além, muitíssimo além, do nível de imaginação e emoção.
 

Seus olhos, que são os olhos da Verdade, estão fixados em meu coração. Onde bate Seu olhar, há paz: pois a luz de Sua Face, que é a Verdade, produz verdade por toda parte onde brilha. Seus olhos estão sempre sobre nós, no coro e em qualquer lugar, qualquer tempo. Nenhuma graça nos vem do céu sem que Ele olhe em nossos corações."

Thomas Merton em "Merton na intimidade".

junho de 2021

O perfeito amor afasta o medo

"Vejo agora cada vez mais que só há uma resposta realista: Amor. Tenho de me atrever a amar, de aguentar a ansiedade de autoquestionamento que o amor desperta em mim, até que "o perfeito amor afaste o medo".

Thomas Merton em "Merton na intimidade".

maio de 2021

Minha conversão ao catolicismo

"Começou pela conscientização da presença de Deus na vida presente, no mundo e em mim mesmo. E  compreendi que minha tarefa como cristão é viver na plena e vital atenção a esse fundamento básico do meu ser e do ser do mundo. Atos e formas de culto ajudam-nos a isso, e a Igreja, com sua liturgia e seus sacramentos, dá-nos os meios essenciais à graça. Todavia, pode Deus atuar sem esses meios, se assim o quer. Quando entrei para a Igreja, vim à procura de Deus, o Deus vivo, não apenas “as consolações da  religião”. E posso dizer que mesmo no mosteiro tenho conseguido suportar a “religiosidade” que, por vezes, é mais um obstáculo do que uma ajuda.”

Thomas Merton em "Reflexões de um Espectador Culpado".

abril de 2021

O Triunfo da Páscoa

"Só durante a Paixão foi a imagem gloriosa do Pai momentaneamente obscurecida, na alma humana do Redentor. E, no entanto, mesmo durante a Paixão, Ele era Deus de Deus, Luz de Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro. Mesmo aí, sua experiência foi, num sentido muito especial, uma experiência contemplativa: a experiência da Luz que brilhou nas trevas e que as trevas não compreenderam. Durante a sua Paixão, Jesus viveu esse obscurecimento da luz divina de que toda alma cristã deverá doravante participar, a fim de passar de suas próprias trevas à luz admirável de Deus, sendo atraída pelo poder do Pai que, também, se ocultara momentaneamente nas trevas com seu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo. Mesmo nas trevas da morte, antes da Ressurreição, Jesus é uma coluna de fogo que nos ilumina durante nossa passagem do Mar Vermelho e do deserto, rumo à terra prometida, conforme canta a Igreja no mistério triunfante de Páscoa.

Thomas Merton em "Marta, Maria e Lázaro".

março de 2021

Obedecer a Deus é ...

"corresponder à sua vontade expressa na necessidade de outra pessoa, ou, pelo menos, respeitar os direitos dos demais. Pois os direitos de outra pessoa são a expressão do amor e da vontade de Deus. Ao exigir que eu respeite os direitos de outro, o Senhor não está apenas me pedindo que cumpra alguma lei abstrata, arbitrária; está me permitindo compartilhar, como filho seu, seu próprio cuidado com meu irmão. Quem ignora os direitos e necessidades alheias não pode ter a esperança de andar à luz da contemplação, pois seu caminho se desviou da verdade e da compaixão – e, portanto, de Deus.

Thomas Merton em "Novas sementes de contemplação".

fevereiro de 2021

A vida tem um sentido

"Por mais decadentes que pareçam o homem e o mundo e por mais terrível que se torne o desespero humano, enquanto o homem continuar a ser homem, é a sua própria humanidade que continuará a dizer-lhe: a vida tem um sentido. Essa é, de fato, uma das razões pelas quais tende o homem a rebelar-se contra si mesmo. Se ele pudesse ver sem esforço o sentido da vida e chegar sem tropeço ao seu fim, jamais discutiria o fato de que a vida bem vale ser vivida.

Thomas Merton em "Homem algum é uma ilha".

janeiro de 2021

O recolhimento.

"É UMA TRANSPOSIÇÃO DE FOCO, que harmoniza toda a nossa alma com o que está além e acima de nós. E uma “conversão”, uma “volta” do nosso ser às coisas espirituais e a Deus. Como são simples as coisas espirituais, o recolhimento é também uma simplificação do nosso estado de espírito e da nossa atividade espiritual. Tal simplificação nos confere aquela paz e visão das coisas que Jesus proclama ao dizer: “Se o teu olho é simples, todo o teu corpo será luminoso” (Mt 6,22).

Thomas Merton em "Homem algum é uma ilha".