A fé nada reprime e tudo compreende. No meio do meu vazio e do meu deserto, nasce também uma fonte. No meio de minha escuridão, brilha também uma luz. (Anselmo Grün)​​ - 30.7.2017

Jesus é um tesouro escondido, um bem inestimável que poucas almas sabem encontrar, porque Ele está escondido e o mundo ama aquilo que brilha. Ah! Se Jesus Se tivesse querido mostrar a todas as almas com os seus dons inefáveis, de certeza que não haveria nenhuma que O desdenhasse; mas Ele não quer que O amemos pelos seus dons: Ele próprio é que deve ser a nossa recompensa. (Santa Teresinha do Menino Jesus) - 7.8.2017

Que eu possa ser igual a ti, Senhor, sensível e misterioso; paciente, manso e humilde; sincero e verdadeiro. Que teus prediletos, os pobres, sejam também os meus preferidos e teus objetivos se transformem em minhas metas. (Inácio Larrañaga) - 13.8.2017

Até que aprendamos a esquecer e abrir mão das exigências de nossas paixões

e aprendamos a disciplinar nossa memória e nossa imaginação,

nosso coração esta destinado a ficar sempre em tumulto;

nossa alma, nunca em paz. (São João da Cruz) -  20.8.2017

Amar a Deus, ao próximo e a si mesmo (27.8.2017)

 

Ama-te a ti mesmo tal como te criou Aquele que te amou. Despreza-te tal como te fizeste a ti mesmo. Submete-te ao que está acima de ti; despreza o que está abaixo de ti. Ama-te a ti mesmo como te amou Aquele que Se entregou por ti. Despreza-te por teres desprezado o que Deus fez e amou em ti. [...] Queres ter Deus no teu espírito em todo o momento? Olha-te tal como Deus te fez. Não andes à procura de outro tu, não te tornes outro, diferente daquele que Deus te fez. Assim, terás Deus no teu espírito em todo o momento. (Santo António de Lisboa, franciscano, doutor da Igreja​)

Não tens em vista as coisas de Deus, mas dos homens (3.9.2017) 

Quando o Senhor impõe ao homem que quer segui-Lo que renuncie a si mesmo, achamos que os seus mandamentos são difíceis e duros de ouvir. Mas, se aquele que ordena nos ajuda a cumprir o que ordena, então esses mandamentos deixam de ser difíceis e penosos. [...] Com efeito, o amor suaviza o que os preceitos podem ter de penoso. Conhecemos todas as maravilhas que o amor pode realizar. [...] Que dificuldades não enfrentaram os homens, que condições de vida indignas e intoleráveis não suportaram para atingirem o objeto do seu amor! [...] Porque nos admiramos se aquele que ama Cristo e quer segui-Lo renuncia a si mesmo para O amar? Porque, se o homem se perde amando-se a si mesmo, deverá sem dúvida alguma encontrar-se renunciando a si mesmo. (Santo Agostinho, bispo de Hipona)

A realidade fundamental de nossa vida é que somos amados incondicionalmente por Deus. (...) É importante lembrar-nos sempre de que somos amados por Deus, não importando nosso comportamento, mesmo quando falhamos ou incidimos em culpa. (...) Jesus não só pregou o amor incondicional de Deus. Ele também o demonstrou em sua vida. (Anselm Grün) - 10.9.2017

Se há coisa que sempre nos garantirá o Céu, são os atos de caridade e de generosidade com que tivermos preenchido a nossa existência. Saberemos jamais o bem que pode fazer um simples sorriso? Proclamamos que Deus acolhe, compreende, perdoa; mas somos a prova viva disso que proclamamos? Os outros detetam em nós esse acolhimento, essa compreensão e esse perdão vivos? Sejamos sinceros nas nossas relações uns com os outros; tenhamos a coragem de nos aceitar uns aos outros tal como somos. Não nos deixemos espantar nem preocupar com os nossos fracassos nem com os fracassos dos outros. Antes, vejamos o bem que há em cada um de nós; descubramo-lo, porque todos nós fomos criados à imagem de Deus.

Não nos esqueçamos de que ainda não somos santos, mas apenas nos esforçamos por sê-lo. Sejamos, pois, extremamente pacientes com os nossos pecados e com as nossas quedas. Não te sirva a língua senão para o bem dos outros, «pois a boca fala do que transborda do coração». Temos de ter alguma coisa no coração para podermos dar; aqueles cuja missão é dar têm primeiro de crescer no conhecimento de Deus. (Santa Teresa de Calcutá) - 17.9.2017

A história do grão de trigo é admirável.

Cai na terra. Submerge nela. Morre.

Nasce e sai ao ar, que é seu campo de batalha.

Em seguida, encontra inimigos,

a começar pelas neves e geadas.

Para não morrer,

o jovem trigo agarra-se obstinadamente 

à vida e sobrevive.

Chegam temperaturas baixíssimas,

capazes de queimar qualquer ser vivente;

o pobre trigo, ainda tão tenro,

novamente se agarra

à vida com uma obstinada perseverança.

À medida que passa o inverno,

o trigo vai vencendo todos os obstáculos, um a um.

Vem a primavera,

o trigo levanta a cabeça

e começa a escalar velozmente a ladeira da vida. 

(Inácio Larrañaga) - 24.9.2017

A vontade dos seres criados não está feita para ser livre sendo senhora de si própria; está chamada a conformar-se com a vontade de Deus. Se com ela se conformar por submissão livre, é-lhe dado participar livremente no aperfeiçoamento da criação. Se se recusar a fazê-lo, a criatura livre perde a sua liberdade. A vontade do homem mantém o livre arbítrio, mas ele é seduzido pelas coisas deste mundo, que puxam por ele e o empurram em direções que o afastam do desenvolvimento da sua natureza tal como Deus a quis, e da finalidade que ele próprio estabeleceu na sua liberdade original. Para além desta liberdade original, perde a segurança da sua resolução, torna-se vago e indeciso, é importunado por dúvidas e escrúpulos, ou fica endurecido no seu desregramento. Contra isso, não há outro remédio senão seguir a Cristo, o Filho do homem, que, não só obedecia diretamente ao Pai dos Céus, como também Se submeteu aos homens que para Ele representavam a vontade do Pai. (​Santa Teresa Benedita da Cruz) - 1.10.2017

Quando o homem se afasta dos desígnios do Deus Criador, provoca uma desordem que repercute inevitavelmente sobre o resto do universo. Há uma urgente necessidade de educação para a responsabilidade ecológica: responsabilidade em relação aos outros e em relação ao meio ambiente. E trata-se de uma educação que não pode basear-se simplesmente no sentimento ou sobre uma mal definida veleidade. A autêntica educação para a responsabilidade requer uma conversão na maneira de pensar e no comportamento. (São Francisco de Assis) - 8.10.2017

Assim como a respiração do homem passa pela cabeça, para descer até aos membros e os vivificar, assim também o Espírito Santo vem aos cristãos por Cristo. A cabeça é Cristo, os membros são os cristãos. Há uma cabeça e numerosos membros, um só corpo, formado pela cabeça e pelos membros, e neste único corpo um único Espírito, que está em plenitude na cabeça e de forma participada nos membros. (...) Aquilo que faz parte do corpo não está morto; aquilo que está separado do corpo não está vivo. É pela fé que nos tornamos membros; é pelo amor que somos vivificados. Pela fé, recebemos a unidade; pela caridade, recebemos a vida. (Hugo de São-Victor, cônego regular, teólogo) - 15.10.2017

Não podemos satisfazer-nos com dar dinheiro; o dinheiro não basta, porque não é difícil encontrá-lo. É das nossas mãos que os pobres precisam para serem servidos, é dos nossos corações que eles precisam para serem amados. A religião de Cristo é o amor, o contágio do amor. 
Os que podem oferecer a si próprios uma vida fácil têm sem dúvida as suas razões: podem tê-la obtido com o seu trabalho. O que me incomoda é o desperdício, são os que deitam para o lixo o que poderia ser-nos útil. A dificuldade é que muitas vezes os ricos, ou mesmo as pessoas abastadas, não sabem verdadeiramente o que são os pobres; é por isso que podemos perdoar-lhes, porque o conhecimento só pode conduzir ao amor, e o amor ao serviço. É porque não os conhecem que não se sentem sensibilizados por eles. 
Tento dar aos pobres, por amor, o que os ricos podem obter com o dinheiro. É verdade que não tocaria num leproso por um milhão de dólares; mas trato dele voluntariamente por amor a Deus. 
(Santa Teresa de Calcutá) - 22.10.2017

Reinar nos céus é aderir a Deus e a todos os santos, pelo amor, numa única vontade, de tal forma que todos exercem em conjunto um único e mesmo poder, ama a Deus mais do que ti próprio, e verás que começas a ter o que desejas possuir de forma perfeita no céu. Concerta-te com Deus e com os homens – desde que estes não se separem de Deus – e começarás a reinar com Deus e com os seus santos. Porque, na justa medida em que agora te concertares com a vontade de Deus e com a dos homens, Deus e todos os santos concertar-se-ão com a tua vontade. (...)
Mas não poderás possuir este amor na perfeição se não esvaziares o coração de todos os outros amores (...). É por isso que aqueles que enchem o coração com o amor a Deus e ao próximo têm apenas o querer de Deus, ou o de outro homem, na condição de que este não seja contrário a Deus. São, pois, fiéis à oração e a esta maneira de viver, lembrando-se sempre dos céus; porque lhes é agradável desejar a Deus e falar acerca desse que amam, ouvir falar dele e pensar nele. (
Santo Anselmo) - 29.10.2017

O Senhor adverte-nos de que as belas palavras e os comportamentos amáveis devem ser julgados pelos frutos que produzem. Devemos, pois, apreciar as pessoas, não por aquilo que se propõem com as palavras, mas pelo que são realmente, pelos seus atos. Muitas vezes, sob uma aparência de ovelha dissimula-se uma raiva de lobo (Mt 7, 15). E, da mesma maneira que os espinhos não produzem uvas, nem os espinheiros figos, [...] assim também, diz-nos Jesus, não é em belas palavras que consiste a realidade das boas obras. 

Um serviço que se limite a belas palavras não basta para obter o Reino dos céus. Pois o caminho do Reino dos céus se encontra na obediência à vontade de Deus. Temos pois de nos empenhar, se queremos alcançar a felicidade eterna. Temos de dar alguma coisa de nós mesmos: querer o bem, evitar o mal e obedecer de todo o coração aos preceitos divinos. (Santo Hilário, bispo de Poitiers, doutor da Igreja) - 5.11.2017

O bem supremo é a oração, a conversa familiar com Deus. Ela é relação com Deus e união com Ele. Tal como os olhos do corpo são iluminados à vista da luz, assim a alma voltada para Deus é iluminada com a sua luz inefável. A oração não resulta de uma atitude exterior, mas vem do coração. Não se limita a horas ou a momentos determinados, mas está em contínua atividade, de noite como de dia. Não nos contentemos com orientar o nosso pensamento para Deus quando estamos em oração; mas quando outras ocupações – como o cuidado dos pobres ou qualquer outra ocupação boa e útil – nos absorvem, é importante associar-lhes o desejo e a lembrança de Deus, a fim de oferecer ao Senhor do universo um alimento doce, temperado com o sal do amor de Deus. Podemos daí retirar grande vantagem, ao longo de toda a nossa vida, se a isso consagrarmos uma parte do nosso tempo. (Parte da homilia do século V sobre Oração) - 12.11.2017

Um dos servos diz: "Senhor, confiaste-me cinco talentos"; outro diz que lhe couberam dois a guardar. Reconhecem que receberam dele o meio de fazer o bem; dão-lhe testemunho de grande reconhecimento e prestam-lhe contas dos bens confiados. Que lhes responde o seu Senhor? "Muito bem, servo bom e fiel; porque foste fiel nas pequenas coisas, confiar-te-ei as grandes. Vem tomar parte na alegria do Senhor." Assim designa Jesus a beatitude completa. 
Mas o que apenas tinha recebido um talento foi enterrá-lo. "Quanto a este servo inútil, lançai-o às trevas exteriores. Aí haverá choro e ranger de dentes." Repara, não é só o ladrão, o homem que procura enriquecer sem olhar a meios, aquele que faz o mal, que é castigado no fim; é também aquele que não faz o bem […]. Que são estes talentos, com efeito? São o poder de cada um, a autoridade de que se dispõe, a fortuna que se possui, o conselho que se pode dar e toda esta sorte de coisas. Que ninguém venha portanto dizer: só tenho um talento, nada posso fazer. Porque tu, mesmo com um único talento, podes agir de maneira louvável. 
(São João Crisostomo) - 19.11.2017

Escuta, ó alma, qual é a tua dignidade. Tão grande é a tua simplicidade que nada pode habitar a morada do teu espírito, nada pode aí morar exceto a pureza e a simplicidade da eterna Trindade. Escuta as palavras do teu Esposo: Se alguém Me ama guardará a minha Palavra; Meu Pai amá-lo-á e viremos a ele e faremos nele morada" (Jo 14,23); e noutra passagem: "Desce depressa, que Eu hoje devo ficar em tua casa." Apenas Deus que te criou pode, com efeito, descer ao teu espírito, pois, segundo o testemunho de Santo Agostinho, pretende ser mais íntimo a ti do que tu próprio.

Regozija-te, pois, ó alma feliz, por poderes ser a anfitriã de tal visitante. "Ó alma feliz, que cada dia purificas o teu coração para receber o Deus que te acolhe, este Deus cujo anfitrião não tem necessidade de coisa alguma, uma vez que possui em si mesmo o Autor de todo o bem." 
Que feliz é a alma em quem Deus encontra o seu repouso, pois pode dizer: Aquele que me criou repousa debaixo do meu teto. Ele não poderá, pois, recusar o repouso do céu àquela que Lhe ofereceu o repouso nesta vida. (
São Boaventura) - 26.11.2017

Deus, único mestre de oração.

A oração é, quanto à sua natureza, a conversa e a união da alma com Deus; quanto à sua eficácia, é a conservação do mundo e a sua reconciliação com Deus, um ponto elevado acima das tentações, uma muralha contra as tribulações, a extinção das guerras, a alegria futura, a atividade que não cessa, a fonte das graças, a dadora dos carismas, um progresso invisível, o alimento da alma, a iluminação do espírito, o machado que corta o desespero, a expulsão da tristeza, a redução da ira, o espelho do progresso, a manifestação da nossa medida, o teste ao estado da nossa alma, a revelação das coisas futuras, o anúncio seguro da glória.

Tem coragem e terás o próprio Deus como mestre de oração. É impossível aprender a ver por meio de palavras, porque ver é um efeito da natureza. Assim também é impossível aprender a beleza da oração através dos ensinamentos de outros. A oração só se aprende na oração e o seu mestre é Deus, que ensina ao homem a ciência [...], que concede o dom da oração àquele que ora, que abençoa os anos dos justos. (São João Clímaco, monge do Monte Sinai) - 3.12.2017

Quem perder a sua vida há de salvá-la

 

Ó dia eterno, dia desejado,  

Espero-te com nostalgia e impaciência

E em breve o amor rasgará os véus,

E Tu serás a minha salvação.

 

Ó mais lindo dia, momento incomparável

Em que pela primeira vez o meu Deus  contemplarei,

Esposo da minha alma e Senhor dos senhores

Em que o medo não dominará a minha alma.

 

Dia soleníssimo, dia luminoso

Em que a alma verá a Deus em seu poder

Mergulhando inteira no seu amor

E saberá que já passaram as misérias do exílio.

 

Dia feliz, dia abençoado,

Em que o meu coração arderá num eterno amor

Pois já agora te pressinto, embora velado.

Na vida, na morte, Jesus sois meu encanto.

 

Dia com que toda a minha vida sonhei

Por Ti espero impaciente, ó meu Deus,

Pois que Tu és tudo o que eu desejo,

Tu és o Único no meu coração: tudo o resto nada vale.

 

Dia de delícias, de doçura infinita

Esposo meu e Deus de grande majestade

Sabereis que mais nada sacia um coração virginal

E sobre o teu doce coração reclino a cabeça.

 

(Santa Faustina Kowalska) - 10.12.2017

Nada Te Perturbe

Nada te perturbe, nada te espante,

tudo passa , Deus não muda,

a paciência tudo alcança;

Quem a Deus tem, nada lhe falta:

Só Deus basta.

 

Eleva o pensamento, ao céu sobe,

Por nada te angusties, nada te perturbe.

A Jesus Cristo segue, com grande entrega,

e, venha o que vier, nada te espante.

Vês a glória do mundo? É glória vã;

Nada tem de estável, Tudo passa.

 

Deseje as coisas celestes, que sempre duram;

Fiel e rico em promessas, Deus não muda.

Ama-o como merece, Bondade Imensa;

Quem a Deus tem, mesmo que passe por

   momentos difíceis;

Sendo Deus o seu tesouro, nada lhe falta.

SÓ DEUS BASTA!

 

(Santa Tereza D'Ávila) - 17.12.2017

Imediatamente se lhe abriu a boca e se lhe soltou a língua e começou a falar, bendizendo a Deus.

Por fim, João nasce, recebe o seu nome e eis que a língua de seu pai se solta. Aproximemos este episódio da realidade profunda que ele simboliza e contemplemos um grande mistério: Zacarias cala-se e fica mudo até ao nascimento de João, o precursor do Senhor, que lhe abre a boca. Que significa este silêncio de Zacarias, senão o véu que se estendia sobre as profecias e de alguma forma as escondia e as selava antes do anúncio da Boa Nova de Cristo? Com o seu nascimento, elas descobrem-se; tornam-se claras quando chega Aquele de quem falavam. 

O nascimento de João solta, pois, a língua de Zacarias. Este acontecimento tem o mesmo sentido do rasgar do véu do Templo no momento da morte de Cristo na cruz (Mt 27,51). Se João não tivesse anunciado a vinda de outro, a boca de Zacarias não se teria aberto; a sua língua solta-se porque o nascimento de seu filho é o nascimento da própria voz. Não dirá João mais tarde: "Eu sou a voz do que clama no deserto" (Jo 1,23)? 

 

(Santo Agostinho) - 24.12.2017

Entre em contato conosco - mongesanglicanos@gmail.com

  • Facebook